Please reload

Posts Recentes

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Em Destaque

Viagra Rosa: saiba como funciona a pílula que estimula a libido nas mulheres

March 7, 2016

 

 

No mês de Outubro começou a ser comercializada nos Estados Unidos a primeira pílula direcionada para o desempenho sexual das mulheres. O objetivo do medicamento, de nome Addyi®, é estimular o desejo e o interesse sexual da mulher. Rejeitada duas vezes pela FDA (órgão que regula o mercado de remédios nos Estados Unidos), sua aprovação é controversa.

 

Como Funciona?

 

O princípio ativo da pílula rosa é a flibanserina, que foi inicialmente desenvolvida como antidepressivo. Sua ação é sobre a dopamina que é a substância no cérebro que ajuda a transmitir a sensação de prazer. Se a quantidade de dopamina diminui, o interesse sexual também. O novo remédio ajudaria a balancear sua quantidade.

 

É diferente do Viagra masculino?

 

O ciclo da resposta sexual humana segue na seguinte direção: desejo -> excitação -> orgasmo -> resolução. O Viagra (sildenafila e derivados) atua na circulação sanguínea melhorando a capacidade do pênis de obter uma ereção, ou seja, atua na segunda fase do ciclo sexual, melhorando a excitação. Para que o Viagra funcione é necessário que o homem já tenha desejo sexual. No caso das mulheres a excitação corresponde à lubrificação e o Addyi deve atuar na primeira fase, que é a do desejo. O desejo é coordenado pelo cérebro e modulado por aspectos culturais, sociais e psicológicos.

 

Quais são efeitos os colaterais?

 

Os efeitos vão desde tonturas e náuseas e até desmaios, principalmente se houver ingestão de bebida alcoólica. Os efeitos colaterais ainda são controversos e avalia-se o custo-benefício do uso da pílula rosa. A indicação é para mulheres com baixo desejo sexual (desejo sexual hipoativo) e que não tenham chegado à menopausa. Sua venda deve ser permitida somente com prescrição médica.

 

Realmente funciona?

 

Segundo a empresa responsável pela fabricação as mulheres que tomaram a pílula apresentaram 10% a mais de desejo sexual do que aquelas que não tomaram e obtiveram de 0,5 a 1 relação sexual a mais. O problema está em que o desejo sexual possui poucas causas orgânicas, a dificuldade é gerada principalmente por educação repressora, problemas no relacionamento e falta de educação sexual sobre o próprio corpo e a resposta sexual de homens e mulheres. Idéias relacionadas a sexo e desejo são construídas socialmente e há muitos motivos pelos quais as mulheres podem não estar interessadas em sexo a qualquer momento.

 

Mas, e então?

 

Embora as pesquisas voltadas para a melhoria da qualidade da vida sexual das mulheres seja um avanço no aspecto social, ao mesmo tempo o modo como a indústria e as agências de saúde tem tratado o problema demonstram negligência com o corpo e a saúde da mulher. A idéia de que um medicamento como este seria um avanço para o feminismo ou a saúde feminina “jamais foi corroborada em nenhuma literatura acadêmica feminista. Muito pelo contrário, entre acadêmicas feministas e pessoas que trabalham com saúde e sexualidade, o entendimento é que há muito tempo a indústria farmacêutica cria medicamentos perigosos e ineficientes para mulheres.”

Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

 

Rua Conceição, 623 sala 04 Centro Ubatuba-SP 11680-000

 

gabipdaltro@hotmail.com

Telefone/ Whatsapp: (12)99155-5845